quinta-feira, 16 de junho de 2016

O Aires da Pesada e a Energa



Uma de muitas operações militares da C'ART.422 ficou marcada por um episódio que nunca esquecerei.

A certa altura, , ao fim do 2º dia no "mato", e depois de alguns tiros esporádicos, aparece-nos ao longe uma clareira toda descampada.

Ora, os militares que iam na frente, davam ordens para parar e deitar-nos no chão.

A ordem que chegou a seguir foi que as metralhadoras avançassem para a frente.

O Aires, que tinha como arma uma ENERGA, foi "convidado" a trocar de lugar por um camarada que já seguia na frente há muito tempo.

A ENERGA, naquele descampado, não tinha muita utilidade.

Servia mais para destruir cubatas ou alguns obstáculos, tais como Guerrilheiros entrincheirados. Era quase como uma granada de longo alcance.

Quando avançamos mais uns metros, começa o tiroteio!

E nunca mais acabava... 

Quando tudo acalmou, alguém toca no ombro do Aires e pergunta:

- "Aires, estás bem?"

Respondeu que sim. Estava tudo bem...

- "No meio desta confusão, no meio desta poeira, pensei que tinhas sido atingido. Ainda bem Aires... Que grande alívio!"

A altura era propícia a emoções... Mas aquela atitude do nosso Capitão João Vila Chã, tocou os nossos corações.

Emocionou-nos!

Ainda hoje, nos encontros da C'ART 422, se fala deste episódio!

Um abraço meu capitão!

Bem haja!
Imagem retirada daqui:

Sem comentários:

Publicar um comentário

A tua opinião é importante! Comenta aqui!